As rodoviárias de São Paulo espalhadas pela capital são responsáveis pelo maior eixo rodoviário de linhas intermunicipais do Brasil. Segundo pesquisa realizada pelo IBGE com o nome de “Ligações Rodoviárias e Hidroviárias 2016, os terminais da Barra Funda, Tietê e Jabaquara integram 1.477 destinos saindo e voltando, através da operação de centenas de companhias de ônibus. A rodoviária de Belo Horizonte, na capital do estado mineiro, ocupa a segunda posição desta lista, tendo a segunda maior rede de linhas rodoviárias com 643 conexões – menos da metade do que é disponibilizado só em São Paulo. O ranking ainda é completado pelos embarques de Goiânia, com 606 destinos e outra cidade paulista, Campinas, com 596 ligações intermunicipais.

A capacidade de ligar tantos municípios tem uma explicação. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, São Paulo possui dois fatores importantes neste processo, um sendo o poder econômico que capital executa e outro pelo grande índice populacional, já que a cidade é a mais populosa do país. Nas demais cidades, a posição geográfica de cada localidade permite importantes conexões com outros Estados, considerando também que a economia destes municípios tem forte influência na comercialização das passagens de ônibus, sendo que juntas correspondem a uma população de 5 milhões de habitantes.

Rodoviária de Campinas é a exceção das capitais

O terminal rodoviário de Campinas é uma exceção entre as rodoviárias que estão nas principais capitais do Brasil. Foram de São Paulo, Goiânia e Belo Horizonte, a cidade paulista desbancou importantes municípios, segundo levantamento realizado no ano passado. Atrás de Campinas, sobrou a quinta posição para Brasília, com 576 conexões, seguida pelo terminal Novo Rio, no Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador e Curitiba, respectivamente. A rodoviária de Campinas recebe diariamente cerca de 40 mil passageiros, com uma média de 700 embarques e 650 desembarques.

COMPARTILHARShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+