Comprar passagens de ônibus no relógioJá estão sendo testados em São Paulo, relógios de pulso para comprar passagem de ônibus através dos validadores do Bilhete Único, instalados dentro dos coletivos da capital. Com a novidade, as críticas que foram feitas para o acessório do modelo “smartwatches” podem ter um desfecho feliz.

O relógio faz a vez dos cartões de crédito que são carregados exclusivamente para uso das viagens rodoviárias. De uma maneira bem prática, a intensão é inserir um chip no aparelho para que o passageiro apenas tenha que encostar o relógio na catraca e embarcar, sem precisar comprar passagem de ônibus nos guichês da rodoviária.

Apesar de substituir e funcionar da mesma maneira com o que o Bilhete Único, o uso dos relógios garante mais segurança nas compras e reservas das passagens, já que a chance de ser esquecido e as perdas são menores em comparação aos cartões magnéticos. Além disso, esse modelo oferece recursos tecnológicos contidos em outros dispositivos móveis como o Galaxy Gear e o Sony Smartwatch 2.

A ideia do projeto com o nome de “Watch2pay”, que traduzido para o português quer dizer “relógio para pagar” é pertencente à empresa Rede Ponto Certo, que também gerencia as recargas automáticas de todo o transporte rodoviário de São Paulo.

No meio do ano, acessórios com tecnologia parecida foram testados no sistema de transporte público de Recife, em Pernambuco e também no interior de São Paulo, na cidade de Ribeirão Preto.

Esse não é a única novidade que pode desbancar o uso dos cartões. A SPTrans – São Paulo Transporte, que comanda o sistema dos coletivos quer implantar o uso de celulares para que os usuários possam comprar passagem de ônibus da mesma forma do relógio, apenas tendo que encostar o smartphone no validador.

No Rio de Janeiro, o projeto vai mais além. Além de poder pagar as passagens de ônibus com o celular, será possível embarcar em trens, barcas e vans legalizadas pela cidade. A tecnologia vem sendo testada pela Fetranspor, uma federação que reúne sindicatos e empresários do setor de transporte do Rio de Janeiro. É preciso baixar um aplicativo para adicionar créditos e consequentemente pagar pelas passagens.

COMPARTILHARShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+