Tópicos na categoria: Passagens de ônibus útil

Conheça quais são os destinos atendidos pela viação Útil

Conheço os principais destinos rodoviários oferecidos pela viação ÚtilNão é atoa que a viação Útil tem se transformado nos últimos anos, figurinha carimbada para aqueles que embarcam nas principais rodoviárias do Brasil com frequência. Sozinha ela chega a transportar, em média, 120 mil passageiros, todo mês, entre estados como Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.
A frota composta por mais de 100 veículos roda mais de um milhão de quilômetros todos os meses e garante conforto em trajetos mais longos.
Além de oferecer as tradicionais viagens interestaduais, a empresa também trabalha com fretamento, encomendas e seguros. Leia mais

Alugue seu ônibus com a companhia carioca Util passagens

Util passagensVocê sabia que a Util passagens também oferece serviços de aluguel de ônibus, faz encomendas, fretamentos e até vende seguros? Pois é, além de interligar trajetos em pelo menos 70 municípios brasileiros divididos em quatro estados diferentes, a companhia de ônibus não fica atrás de nenhuma outra quando o assunto é inovação e trabalho.

A empresa de passagens de ônibus Util está localizada na capital do Rio de Janeiro, estado por onde é bem atuante e reconhecida pela qualidade de sua frota de veículos. A fama de luxo e conforto também se estende para outros estados atendidos pela companhia carioca, mais precisamente na região sul do Brasil. São Paulo, Belo Horizonte e Brasília são os demais estados que estão na rota da empresa. Não é atoa que a Útil está instalada no Rio, já que é lá o lugar onde acontece a maior quantidade de embarques todo mês. Segundo dados da companhia, os destinos mais vendidos por eles são para cidade de Barbacena, Belo Horizonte, Brasília, Caraguatatuba, Contagem, Guarujá, Juiz de Fora, Mogi das Cruzes, Ouro Branco, Paracatu, Praia Grande, Santos, São Vicente, Ubatuba e Vassouras. Leia mais

Câmeras devem garantir passagens de ônibus útil em SP

câmeras em ônibus

A Prefeitura de São Paulo quer garantir passagens de ônibus útil para quem precisa viajar no coletivo através dos corredores de acesso. Para isso o objetivo é instalar câmeras de monitoramento para impedir que carros e até mesmo as bicicletas invadam o espaço que é exclusivo dos ônibus da capital paulista. A proposta feita pelo prefeito Fernando Haddad apenas está em discussão porque existem alguns motoristas que não estão respeitando a sinalização de trânsito. Para tentar registrar a inflação, a prefeitura quer instalar câmeras em cada para-brisa de sua frota urbana. A intensão é usar as imagens para captar a placa dos automóveis e multar os responsáveis que invadirem os corredores e as faixas prioritárias dos veículos coletivos.

Se tudo ocorrer bem, a expectativa é que a velocidade dos ônibus dentro dos corretores aumente e as passagens rodoviárias possam valer a pena para o consumidor. Hoje a velocidade média é 13 quilômetros por hora, ainda considerada baixa para o local. Tudo o que as câmeras registrarem fica em poder da CET – Companhia de Engenharia de Tráfego. Para alívio de quem já comprou seus bilhetes de ônibus para o ano todo, a prefeitura começa agora a testar o sistema nos ônibus de São Paulo. A CET se responsabilizou em validar a ideia, e por isso cobra do Denatran – Departamento Nacional de Trânsito um posicionamento quanto à hipótese legal de se realizar o monitoramento.

Os ônibus municipais que ganharem a próxima licitação de São Paulo marcada para terminar em junho deste ano, deveram se adequar as novas mudanças e instalar as câmeras em seus para-brisas. É o mesmo que acontece nos radares. Eles capturam a imagem do automóvel transgressor e posteriormente é encaminham até a base da Companhia de Engenharia de Tráfego. Para os técnicos, garantir as passagens de ônibus quando se tem um corredor liberado é ótimo e o monitoramento é viável, porem só será liberado se as câmeras usadas forem aprovadas pela avaliação do Contran – Conselho Nacional de Trânsito, explica o Denatran. Como o projeto ainda é recente e falta mais fiscalização nestas áreas, as invasões já estão se tornando um problema agravante na capital paulista. Só em 2012, a CET multou mais de 300 mil motoristas que não respeitaram os corredores.