Empresas rodoviárias precisam melhorar para manter valor tarifário.
Empresas rodoviárias precisam melhorar para manter valor tarifário.

Você já imaginou comprar os bilhetes rodoviários para ir ao trabalho e no meio do caminho descobrir que o preço da passagem foi reajustado por um valor menor? Pois foi exatamente isso que aconteceu em Montes Claros (MG). Desde semana passada, as passagens de ônibus de Montes Claros estão 10 centavos mais barata para viagens em Transporte Público Coletivo. O reajuste solicitado pela Empresa Municipal de Planejamento, Gestão e Educação em Trânsito e Transportes (MCTrans) reduziu o valor de R$ 2,40 para R$ 2,30 porque as companhias de ônibus urbanos não cumpriram o acordo em contrato que previa melhorias e investimentos no serviço rodoviário. Do último aumento tarifário para cá, o município mineiro deveria receber oito veículos novos, sem contar com ônibus adaptados para passageiros com mobilidade reduzida, chamados de “Transpecial”.

O atraso da montadora foi à desculpa dada pela viação Princesa do Norte, um das duas que transporta passageiros da cidade. Segundo a empresa, dois ônibus novos já foram integrados a frota e outros três estavam com prazo final para serem entregues. Há pelo menos dois meses, o preço das passagens já havia sido abaixado pela prefeitura da cidade. Segundo recomendação do Ministério Público de Minas Gerais, a passagem rodoviária que antes custava R$ 2,50 estava com irregularidades na somatória de impostos e custos de operação. A redução promovida dia 6 de abril em diante, também poupou 10 centavos nos embarques rodoviários. Tanto agora quanto no primeiro reajuste, a prefeitura de Montes Claros teve que acatar a documentação apresentada pela MCtrans, órgão que fiscaliza o transporte público do município.

Se depender da Promotoria de Justiça, os usuários do serviço rodoviário ainda serão recompensados na próxima revisão tarifária que deve acontecer no início do ano que vem. Mesmo deixando as passagens de ônibus baratas, o prejuízo com a diferença do valor gasto com custos dos veículos mal calculados precisa retornar ao bolso do cidadão. A Associação do Transporte Coletivo de Montes Claros (ATCMC), que representa as empresas de ônibus que circulam na cidade, querem o aumento das passagens assim que os novos veículos estiverem à disposição da população.

Autor

Comentários estão fechados.