Jovem pagará metade passagem rodoviária

O valor de passagem rodoviaria mais baixo e outros benefícios como vagas gratuitas e tarifas pela metade podem entrar em vigor para passageiros com idade entre 15 e 29 anos de todo o território nacional. A mudança foi aprovada pela Câmara Federal e sustenta novos direitos previstos no Estatuto da Juventude. A intenção da reforma do documento é facilitar o acesso à educação, eventos culturais e o transporte dos adolescentes e jovens. Até então, o Estatuto da Juventude afirmava o uso e a obrigatoriedade de dois lugares gratuitos em uma viagem de ônibus e mais duas passagens de ônibus cobradas pela metade para jovens que comprovassem ter baixa renda. Acontece que agora as empresas de transporte público interestaduais serão obrigadas a liberar o benefício de meia passagem para todos que se enquadrarem no programa.

O texto que apenas diz respeito a modalidade entre os veículos estaduais foi defendido pela Deputada Federal do PCdoB, Manuela D´Ávila. O projeto que também poderá ser direcionado nas viagens aéreas assegura o número sem limitações para compras de bilhetes de ônibus pela metade do preço. Apesar de o patrocínio ser liberado aos jovens, apenas aqueles que estiverem estudando poderão utilizá-lo contrariando o que acontecia antigamente. Antes da câmara aprovar a modificação, as companhias ofereciam duas vagas gratuitas e mais dois bilhetes pago pela metade para jovens com idade de 15 a 29 anos, mesmo sem estar matriculados ou estudando. Agora o número de vagas aumentou, mas a exigência também.

Está previsto na proposta, o subsidio deste benefício através de descontos promovido com dinheiro público, já que as autoridades compreendem que os empresários do setor rodoviário e de aviação não têm condições de assumir todo o prejuízo gerado com as facilidades. Se o passageiro de ônibus possuir idade entre 15 e 29 anos e utilizar o transporte público para acompanhar eventos culturais, assistir jogos e outros eventos esportivos mesmo que não seja estudante, também poderá pagar apenas metade na compra de passagens para embarcar. Neste caso, apenas 40% da capacidade de lotação é reservada para a aplicação deste recurso. Para começar a valer, o projeto necessita da aprovação da presidente Dilma Rousseff.

COMPARTILHARShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+