Porto Alegre não concorda com investimentos da Copa do Mundo

Porto Alegre não concorda com investimentos da Copa do Mundo

Se depender de um grupo formado por cerca de 500 manifestantes gaúchos concentrados em Porto Alegre, a Copa do Mundo no Brasil nem irá começar.
Nem ela o os aumentos nas passagens de ônibus anunciados pela prefeitura da cidade no começo desse ano estão agradando a maioria dos moradores da capital do Rio Grande do Sul.
Há cerca de duas semanas, quando a presidente Dilma Rousseff desembarcou na cidade, jovens e usuários do serviço rodoviário realizaram um protesto contra a possibilidade de aumento da passagem de ônibus e contra a Copa do Mundo na capital gaúcha. O movimento durou duas horas e precisou da intervenção da polícia local.
Prédios públicos e agências bancárias foram alvos dos protestos e de um grupo baderneiros que aproveitou o movimento para promover a desordem e a depreciação.

Com gritos de protestos, o grupo foi às ruas, acompanhado de faixas com pedidos de investimentos nas áreas da saúde e educação e o não reajuste nas tarifas rodoviárias. Alguns participantes chegaram a lançar estrume contra o prédio de onde fica a prefeitura da cidade.
Segundo informações do policiamento militar, a vidraça de uma agência do Banrisul foi depredada e as sedes do PT e do PMDB foram pichadas.
Se não bastasse, uma garagem de uma companhia de ônibus também quase foi invadida pelos manifestantes.
Jovens chegaram a atearem fogo em um boneco do Pelé feito de papelão para criticar os gastos do município e do país com a Copa do Mundo. Para eles, o dinheiro poderia ser aplicado em outros setores.

Segundo os responsáveis pelo movimento, o protesto foi marcado justamente no dia em que Dilma estaria visitando a cidade.
Na ocasião, a presidente compareceu até o estádio Beira-Rio, onde foi recepcionada pelos atletas do clube Internacional e por autoridades locais, e deu o pontapé inicial na bola que será utilizada na disputa do torneio da FIFA.
Dilma também foi até Caxias do Sul para realizar a entrega de máquinas por meio de um convênio federal e participou da 30ª Festa da Uva.
No ano passado, foi em Porto Alegre que os protestos contra o reajuste dos bilhetes rodoviários incentivaram outros estados a reivindicarem seus direitos.

COMPARTILHARShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+