Encontrar problemas dentro do veículo contratado para viajar ou enfrentar atrasos no embarque pode ocasionar em indenizações para o usuário do serviço. Foi isso que acontece com uma passageira que viajava de Chapecó, em Santa Catarina, até a capital de São Paulo. A empresa rodoviária que transportava a cliente terá de pagar uma indenização no valor de R$ 5 mil, porque seu ônibus quebrou e chegou atrasado. Segundo relatos da mulher, o veículo quebrou e a cliente teve de esperar quase duas horas para embarcar em um ônibus reservado.

O problema, além do atraso de ônibus, é que o veículo estava com condições precárias para operação como mau odor, sujeira, goteiras, ar-condicionado estragado e falta de cinto de segurança. No processo movido pela cliente, a mesma alega que só aceitou viajar nas condições apresentadas porque havia assumido compromissos inadiáveis e que a companhia de ônibus contratada se dispôs a promover a troca por insistência dos próprios passageiros. A viagem durou cerca de nove horas e por causa do atraso, também trouxe alguns prejuízos para os passageiros que haviam se programado para desembarcar quatro horas antes, na capital paulista. Nos autos, a operadora de transporte tentou justificar o fato do atraso, alegando que a troca do veículo solicitada pela maioria dos passageiros necessitou de tempo, mediante ao imprevisto ocasionado pelo problema mecânico do primeiro veículo.

De toda maneira, o juiz não acolheu as desculpas da viação e aplicou a punição aos responsáveis pela empresa, acreditando que o fato não ocorra mais vezes, já que essa não é a primeira vez que a justiça recebe queixas da empresa. Por isso, registrar e documentar os problemas ocorridos na viagem deve ser seguindo pelos passageiros, principalmente em situações envolvendo atrasos e má condições de operação que comprometam a segurança e o bem-estar dos clientes.

COMPARTILHARShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+